Slideshow Image 1
Slideshow Image 2
Slideshow Image 3
Slideshow Image 4
Slideshow Image 5
Slideshow Image 6
Slideshow Image 7
Slideshow Image 8

Prefeitura Municipal de
AQUIDAUANA

(67) 3240-1400
prefeito@aquidauana.ms.gov.br
Rua Luiz da Costa Gomes , Nº 711

AQUIDAUANA – PONTOS TURÍSTICOS

O TURISMO DE AQUIDAUANA

Aquidauana é o Portal do Pantanal, um dos mais belos ecossistemas do mundo. Sempre de portas abertas para receber os visitantes. Com muitas atrações, a cidade encanta com seus cenários únicos.
O Rio Aquidauana deu nome ao município, sua origem vem do vocabulário dos índios da etnia Guaicuru, que significa rio estreito. Atualmente, os índios que habitam o município são da etnia Terena, que formam uma população de mais de 12 mil indígenas, distribuídos em 09 aldeias. Ao lado da Estação Ferroviária está localizada a Feirinha Indígena, onde é comercializada a produção agrícola das aldeias.
Fundada em 15 de agosto de1892 por 05 pecuaristas, é uma cidade centenária, possui uma arquitetura colonial no Centro Histórico, às margens do rio Aquidauana e entorno da Igreja Matriz, alguns prédios são e outros estão em vias de se tornarem centenários. Francisco Luciano Seccomani, construtor italiano que chegou a Aquidauana nos anos iniciais do século XX, era o encarregado das obras da maioria dos imóveis de alvenaria do centro histórico de Aquidauana. Desses prédios, alguns estão em processo de tombamento.
Além do Centro Histórico, em Aquidauana existem as ruínas da extinta cidadela de Santiago de Xerez, construída às margens do rio a 12 km do atual centro da cidade. Está listada entre as primeiras 34 cidades construídas na América, de origem espanhola, Santiago de Xerez foi erguida em 1600 e destruída em 1632 pelos bandeirantes portugueses. A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em parceria com uma empresa de arqueologia realizaram prospecções no local.
Outra característica natural de Aquidauana, além do Pantanal, é a Serra de Maracaju que possui belezas cênicas e bucólicas, típicas do interior, como morros escarpados, cachoeiras, praias de areia branca às margens do rio. Na região perpassa a MS 450, que por esses motivos em 2000, foi criada uma categoria de Unidade de Conservação, a Estrada Parque de Piraputanga com 42,4 Km, há trechos em terra e asfalto justaposto às margens do rio Aquidauana. Há também algumas cavernas catalogadas, com inscrições rupestres da época dos caçadores-coletores que habitaram essa região a milhares de anos atrás. Suas belezas cênicas, culturais e históricas possuem forte apelo.
No final do século XX, o turismo chegou às fazendas pantaneiras com o advento das gravações da novela Pantanal (da extinta Rede Manchete), que teve como cenário a Fazenda Rio Negro, de propriedade da tradicional família Rondon, isso no início da década de 1990. O Pantanal de Aquidauana, 10 anos depois chegou a ter 23 Pousadas Pantaneiras, que se consolidou como um importante produto turístico e, atualmente,possui 08 Pousadas Pantaneiras continuam em atividade e distribuídas pelo município,que oferecem as mais variadas opções de lazer como passeio a cavalo, focagem noturna, safári fotográfico, caminhada, passeio de chalana, e o visitante ainda desfrutará da típica gastronomia pantaneira.
Outro aspecto do turismo no município são os eventos que ocorrem durante o ano, como as competições de laçadas nos Clubes de Laço, os bailes sertanejos, a Festa da Sopa Paraguaia que é organizada pela colônia paraguaia, a festa Nippon Aqui organizada pela colônia japonesa, a Festa do Peixe uma atividade tradicional que fez a fama do rio Aquidauana, é realizada pela Prefeitura de Aquidauanacom o apoio da Colônia dos Pescadores e o Festival Pantaneiro onde culmina toda a cultura pantaneira, com seus hábitos e costumes, este evento é realizado pela Prefeitura de Aquidauana.
Venha descobrir Aquidauana...Uma combinação povo receptivo de cultura forte e natureza concentrada. Confira alguns pontos imperdíveis e programe uma visita:


PANTANAL

A maior planície de inundação contínua do mundo possui região com cerca de 250 mil km². Destaca-se pelas inúmeras espécies de animais e vegetações decorrentes do ambiente contraditório que alterna entre períodos úmidos (verão) e de estiagem (inverno).
A área territorial do município é de 17.008,5 Km², e deste total 75% abrange o Pantanal. O Pantanal de Aquidauana contribui com aproximadamente 4,9 % do total da reserva do pantanal brasileiro. Mas ainda existe uma área do município que tem características do pantanal da Nhecolândia, outra do Abobral e Rio Negro.
O turismo da região oferece excelentes opções tanto para quem procura aventura. São diversos estilos de passeios, acomodações e atrações acompanhados por guias de campo. Um ambiente exclusivo no mundo que proporciona momentos inesquecíveis.


IGREJA NOSSA SENHORA IMACULADA CONCEIÇÃO

Construção da década de 1930, em estilo arquitetônico com características das construções góticas. A responsabilidade do projeto pode ser atribuída ao engenheiro paulista Alexandre Albuquerque, que trabalhou na equipe responsável pela construção da Catedral da Sé, em São Paulo-SP. Por muito tempo afirmou-se que a idealização teria sido do construtor Francisco Luciano Seccomani, italiano que chegou a Aquidauana nos anos iniciais do séc. XX, e que era o encarregado das obras. Hoje é a Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, está sob tutela dos missionários redentoristas, que foram os responsáveis por sua edificação. Pertence a Cúria Diocesana de Jardim/MS.
- Endereço: Praça Nossa Senhora da Imaculada Conceição, s/nº - Centro.
- Telefone: (67) 3241-3086
- Site: www.paroquiadeaquidauana.com.br
- E-mail: imaculada.1930@terra.com.br
- Horário de Funcionamento:Consultar a secretaria da paróquia


CASA PAROCHIAL PADRE JOSÉ MAY (CASA DOS PADRES)

Construção da década de 1930 é a residência dos Missionários Redentoristas que atuam na Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição e da equipe missionária itinerante da Congregação do Santíssimo Redentor. Tem estilo arquitetônico semelhante às demais construções sob responsabilidade dos Redentoristas nas cidades da região, como pode ser observado nos municípios de Miranda, Bela Vista e Ponta Porã. Pertence a Província de Campo Grande da Congregação do Santíssimo Redentor.


ESCOLA PAROCHIAL (GINÁSIO IMACULADA CONCEIÇÃO - GIC)

Construção da década de 1930 funcionou até a década de 1970 como escola, sempre ligada a religiosos católicos, ficou na memória popular como o Ginásio Imaculada Conceição - GIC. Tem estilo arquitetônico semelhante as demais construções sob-responsabilidade dos Redentoristas nas cidades da região, como pode ser observado nos municípios de Miranda, Bela Vista e Ponta Porã. Pertence a Província de Campo Grande da Congregação do Santíssimo Redentor.


PRAÇA NOSSA SENHORA IMACULADA CONCEIÇÃO.

Nesta área da praça que se reuniram os fundadores e que foi lavrada a ata de fundação da cidade, sob uma sombra de frondosa árvore de acury. Marco inicial das primeiras construções, sendo estas as mais antigas da cidade.






MUSEU DE ARTE PANTANEIRA

Construção da década de 1918, edificada por ordem do Sr. Manoel Antonio Paes de Barros, um dos organizadores do povoado inicial, tinha cunho residencial. Ao longo dos anos foi ocupada por várias atividades públicas e privadas. Em 1998 instituído, no local, o Museu de Arte Pantaneira. Tem um estilo arquitetônico neocolonial acompanhando as demais construções do entorno. Pertence ao Poder Público Municipal.
- Endereço: Rua Cândido Mariano, nº 462 – Centro
- Telefone: (67) 3241-5254
Museu se encontra temporariamente fechado para reformas
Entrada Franca


MERCADO MUNICIPAL

Construção da década de 1960 foi por muitos anos o centro comercial de Aquidauana, sendo reduto das colônias nipônica e pernambucana. Encontra-se em atividade, tendo alguns dos pioneiros, que iniciaram atividade em 1962, ainda exercendo função. É de propriedade do Poder Executivo.
O espaço foi fundado em 1º de maio de 1962, foi por muitos anos o principal centro comercial de Aquidauana, sendo reduto das colônias nipônico e pernambucano. Resiste às oscilações da economia para manter-se altineiro no coração da cidade, pulsando o trabalho, a história e a vida de seus feirantes. O Mercadão, como é mais conhecido, é muito mais que um centro comercial, ele é um pedaço da história da cidade, como, por exemplo, a história da dona Elza Oshiro que mantém a mesma disposição de quando participou da inauguração do mercado. No dia-a-dia, os boxes, bancas e gente se integram, formando uma mini-cidade em perfeita harmonia onde a paz e o trabalho valorizam as suas vidas e os seus destinos. Recentemente, recebeu uma bela pintura artística para valorizar sua aparência e passando por melhorias internas para atender aos que lá circulam. É de propriedade da Prefeitura Municipal.
- Endereço: Rua Sete de Setembro, nº 937 – Centro
- Telefone Público: (67)3241-1455
- Horário de Funcionamento:
Segunda a Sábado: 6h às 17h
Domingo: 6h às 11h


PRAÇA AFONSO PENA (DOS ESTUDANTES)

Praça dos Estudantescomo é conhecida popularmente, oferece uma grande área de lazer com parque infantil, espaço para jogos de mesa e uma concha acústica para eventos.
A Biblioteca Municipal e a Casa do Artesão também estão dentro da estrutura da praça:






CASA DO ARTESÃO

Foi criada em 1º de junho de 1990, numa assembleia geral com a presença de mais de 40 artesãos da cidade. Após ficar sediado em outros locais da cidade, está desde 20 de novembro de 1998, localizado na Praça Afonso Pena. A casa conta, atualmente, com 300 artesãos locais e regionais e comercializa ainda 400 itens variados, no local funcionam os grupos de geração de renda como ABRÓLIO, Geração Pantaneira “Chocolate”, Poupas de Frutas, Derivados da Bocaiúva e Biscoitos.
- Endereço: Rua Teodoro Rondon, s/nº - Centro
- Telefone: (67) 8476-0836
- Email: casa.artesao.aquidauana@gmail.com
- Horário de Funcionamento:
Segunda a Sexta: 7h às 16h
Sábado, domingo e feriados: agendamento com Lourival (número acima)

BIBLIOTECA MUNICIPAL

Foi fundada por Doutor Delfino Alves Corrêa, prefeito na gestão de 1948 a 1950, recebeu doações de livros e móveis várias pessoas da cidade e foi inaugurada em 15 de agosto de 1949. Ocupou vários prédios até que no ano de 1998, o criou-se o novo prédio em formato de um livro aberto, situado na Praça Afonso Pena que foi inaugurada em 08 de fevereiro de 1999 onde se encontra até hoje.Possui um acervo de obras raras e antigas.
- Endereço: Rua Teodoro Rondon, s/nº - Centro
- Telefone: (67) 3241-7941
- Horário de Funcionamento:
Segunda a Sexta: 7h às 17h (inclusive em horário de almoço)


ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE AQUIDAUANA

A estaçãode Aquidauana começou a ser construída em 1908 e foi inaugurada em 21 de dezembro 1912, originalmente era um prédio com uma pequena plataforma, no estilo das estações da época (Piraputanga, Camisão e Taunay). O movimento na estação fez com que o centro comercial que antes estava concentrado às margens do rio Aquidauana, fosse aos poucos se transferindo para as proximidades da estação. Foi por muitas décadas o principal meio de transporte para a população. Na década de 1960, a antiga estação foi reformada com a estrutura que se conhece atualmente, mais ampla e moderna com os traços retos (arquitetura característica da época, devido aos traços de Brasília). Em 1996, o trem de passageiros parou de percorrer os trilhos, ficando apenas o trem de transporte de cargas. Hoje a estação tem um novo sentido para nossa cidade, pois desde maio de 2009 passou por uma revitalização e começou a circular o trem turístico Pantanal Express, trazendo turistas para conhecerem as belezas do Pantanal sul-mato-grossense. Atualmente, no local existe um restaurante “Estação Pantaneira”, a Agência de Viagens e loja de artesanato Pioneiro Turismo e a sede da Fundação de Turismo de Aquidauana.
- Endereço: Rua Bichara Salamene, s/nº - Centro


FEIRINHA INDÍGENA

Localizada ao lado da Estação Ferroviária, em quiosques onde é feita a comercialização da produção agrícola indígena da aldeia do Limão Verde como milho, mandioca, maxixe, feijão de corda, frutos da época (pequi, guavira, manga, laranja, banana, limão).
- Endereço: Rua Bichara Salamene, s/nº - Estação Ferroviária – Centro
- Horário de Funcionamento:
Segunda a Sábado: 7h às 13h


COLÉGIO MODELO

Construção de 1930 foi uma das primeiras escolas da cidade, e o primeiro grupo escolar público. Nos últimos anos funcionava no local a Escola Estadual Antonio Corrêa, que encerrou suas atividades no final de 2008. É de propriedade do Estado de Mato Grosso do Sul, que cedeu o prédio para abrigar desde janeiro de 2009, a Casa das Fundações onde estão instaladas as Fundações de Cultura e Esporte.




ESCOLA IRENE CICALISE

Construção da década de 1920. Tudo começou na mais completa simplicidade, com uma única sala de aula, apenas para as séries iniciais (de 1º a 4º ano). Nas dependências da residência de seus pais, a professora Irene começa dando aulas aos seus pequenos. Com o passar dos anos e para acompanhar o crescimento intelectual dos alunos, abriu o Curso Ginasial (hoje ensino fundamental de 6º ao 9º ano). Algumas adaptações na estrutura física da escola foram feitas, como dizia a professora Irene: “fechando portas e abrindo outras, fomos sempre ajeitando para poder atender bem nossos alunos”. Em 1995, para dar continuidade à formação de seus alunos, deu um novo passo conquistando a abertura do 2º grau, hoje ensino médio, funcionando num excelente padrão de qualidade.


PONTE ROLDÃO CARLOS DE OLIVEIRA (VELHA OU DA AMIZADE)

Sua construção iniciou em 1918 sobre pilares de pedras e lastro de madeira, foi inaugurada em 19 de dezembro de 1921, foi a primeira ligação, não fluvial, entre as duas partes da cidade, a margem esquerda, hoje Anastácio, e a região central (Aquidauana). Sua arquitetura chama à atenção, foi adaptada de uma ponte ferroviária, de tecnologia inglesa que por várias décadas serviu como única ligação com o município vizinho de Anastácio, em 13 de outubro de 1950 teve seu fechamento interrompido para veículos pesados. Possui 23 metros de altura e 63m de comprimento, cruza o rio Aquidauana que deu nome ao município. Sua utilização é muito importante para o trânsito nas regiões. Está localizado, aproximadamente, à latitude 20º28' Sul e à longitude 55º47' Oeste.


CÂMARA MUNICIPAL DE AQUIDAUANA

Construção da década de 1920 funciona como Órgão Legislativo Municipal, desde a década de 1980, sendo que anteriormente funcionava a Prefeitura Municipal. Tem estilo arquitetônico neocolonial acompanhando as demais construções do entorno. Pertence ao Poder Público do Município.






RESIDÊNCIA JOÃO DE ALMEIDA CASTRO

Construção da década de 1908, edificada por ordem do Sr. João de Almeida Castro, um dos organizadores do povoado inicial, tinha cunho comercial e residencial. Como curiosidade, é uma das poucas construções atuais que aparecem nas imagens do Álbum Gráfico de Mato Grosso, edição germano-brasileira de 1910. Tem estilo arquitetônico neocolonial acompanhando as demais construções do entorno. Pertence a família Icety.


RESIDÊNCIA RUBENS CORRÊA

A residência onde nasceu e viveu parte de sua infância em Aquidauana, está identificado com uma placa em homenagem ao ator Rubens Corrêa, que nasceu no dia 23 de janeiro de 1931, em Aquidauana, e foi em busca de outros palcos. Este aquidauanense foi ator de cinema, teatro e televisão, e também diretor. Formou-se no Teatro Tablado (RJ), em 1951. Estreou no teatro em 1955, montou sua própria companhia em 1959, que se transformou durante a década de 1960, no Teatro Ipanema. Conquistou fama ao participar de diversos trabalhos na Rede Globo (novelas: Partido Alto, Mandala/psicanalista do Édipo, Kananga do Japão, Guerra Sem Fim, Amazônia, Pantanal/deputado; cinema: O Beijo da Mulher Aranha com Sônia Baga, Lua de Cristal com Xuxa. Morreu aos 64 anos, no dia 22 de janeiro de 1996. Sua interpretação sempre foi primorosa, participou de várias novelas, dentre elas Pantanal, da minissérie Decadência, do filme O Beijo da Mulher Aranha, dentre outras produções teatrais, televisivas e cinematográficas. O prédio que possui características da época da década de 1930. Pertence à família da Alves Corrêa.
- Endereço: Rua Marechal Mallet – Centro (em frente a Caixa Econômica Federal)
OBS.: Não está aberta ao público.


PRÉDIO “A PRIMAVERA”

Construção de 1914, sempre foi utilizada como empreendimento comercial. Tem estilo arquitetônico neocolonial acompanhando as demais construções do entorno. Pertence ao Sr. Nelson Scaff.








CASA BOM GOSTO

Construção da década de 1940 foi, até a década de 1990, uma das casas comerciais mais importantes da cidade, servindo de ponto de encontro entre os fazendeiros e cidadãos que encontravam de tudo para abastecer suas casas. Encerrou suas atividades no final daquela década de 1990, desde então permanece fechado. Pertence à família do Sr. Roberto Trindade.




CASA PORTUGUESA

Sua origem data de 1918, quando o 'seo' Bernardino Lopes, abriu um quiosque próximo à Estação Ferroviária. Mas somente em 1926, que se fixou definitivamente na cidade de Aquidauana quando já estava casado, que fundou a CASA PORTUGUESA, no mês de setembro. A primeira loja era ao lado de onde está a atual, onde existem três janelas altas, estas janelas no início eram as portas de acesso à loja, pois o nível da rua eram mais alto, que hoje em dia. Sua estrutura era de portas de madeira, sem forro, um velho balcão com divisão de alimentos, com uma decoração primorosa e variedade de produtos. Possuía um grande diferencial, que era o bacalhau que ficava pendurado à vista dos fregueses e na reunião dos patrícios. Em 08/Dez/1948 foi inaugurado o prédio atual, o atendimento era feito num espaço menor e as divisões destes espaços ainda estão marcadas no piso de ladrilho hidráulico e o espaço existente hoje é mais amplo. Conduzida pela terceira geração da família Lopes, passou por uma reestruturação com equipamentos mais modernos, porém, sem perder as características principais, o escudo da família na fachada, bem como as cores que retratam a bandeira de Portugal: verde, vermelha e branca. Há 83 anos, que a Casa Portuguesa faz parte da rotina da cidade e onde há de um tudo com certeza. Propriedade do Sr. Cláudio Lopes.


UFMS

Implantada como Centro Pedagógico de Aquidauana, e inaugurado em 07 de março de 1971. Foi a única instituição de ensino superior do sudoeste do Estado de MS, oferecendo inicialmente 02 (dois) cursos, o de Letras e Estudos Sociais. Atualmente, oferece 08 (oito) cursos que atende várias cidades da região.





BASE DE PESQUISAS HISTÓRICAS E CULTURAIS DA BACIA DOS RIOS AQUIDAUANA E MIRANDA – BPRAM/UFMS (ESCOLA ESTHER SANCHES)

Prédio antigo que foi construído para ser uma residência, na década de 1920, foi transformado pela proprietária e professora – Esther Sanches – numa escola particular ficando assim denominada “Escola de 1º Grau Esther Sanches”. Sua criação foi em 02 de março de 1959 e por muitos anos contribuiu com a educação da sociedade aquidauanense até meados da década de 1990, quando encerrou suas atividades.
Neste prédio, ocorreu num determinado tempo aconteceu um pequeno desmoronamento em um dos cômodos da casa, no qual veio a ser descoberto uma passagem, depois de muitos rumores, a referida professora procurou a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, para estudos e pesquisas, os quais foram iniciados com o tempo, vindo a deduzir que aquele buraco retrata uma pequena sala secreta de reuniões maçônicas de época remota.
Em 2007, o imóvel foi adquirido pela UFMS que a transformou em Base de Pesquisas Históricas e Culturais dos Rios Aquidauana e Miranda- BPRAM, Em breve estará funcionando um Posto de Informações Turísticas.


SHOPPING BARRAKECH ABDALLA MAKSOUD

Sua origem deu-se no início da década de 1990 em que as mercadorias ficavam expostas no chão ou penduradas, eram produtos importados e muito conhecida como Shopping Chão e outras denominações, com o tempo foram surgindo bancas na Rua Bichara Salamene e depois outras bancas foram instaladas na calçada da Rua Estevão Alves Ribeiro, logo após a passagem de nível e foi aumentando até dobrar a esquina e se estender também pela Rua Assis Ribeiro. Apresentando variedades de produtos, com o passar do tempo as pessoas começaram a fazer analogia com o Shopping Marrakech, que existia em Campo Grande, e como a população de Aquidauana é muito criativa começou a denominar BARRAKECH, tornou-se uma referência na hora das compras. Com o passar dos anos as instalações de madeira do início foram sendo substituídas por material de alvenaria e ampliadas, após a autorização da prefeitura. O atual Centro comercial foi inaugurado em Agosto de 2008, é um local onde os micros importadores da cidade comercializam os produtos nacionais e importados da Bolívia e Paraguai, com um amplo estacionamento, uma praça de alimentação, espaço para apresentações culturais, pista de caminhada e um parquinho para as crianças. É de propriedade de Prefeitura Municipal.
- Endereço: Rua Estevão Alves Corrêa, s/nº - Bairro Alto
- Telefone Público: (67) 3241-5039 (Praça de Alimentação)
- Horário de Funcionamento:
Cada estabelecimento faz seu próprio horário, mas de modo geral, o funcionamento depende da circulação das pessoas pelo shopping.

Lojas Praça de Alimentação
Segunda a Sábado 6h30min às 20h 7h às 22h
Domingo e Feriado 7h às 13h 14h às 22h


RODOVIÁRIA ESTÁCIO MUNIZ

A Rodoviária de Aquidauana conta com lanchonete, revistaria e pequenas lojas de micros importadores que oferecem produtos nacionais e importados.
- Endereço: Rua Estevão Alves Corrêa, s/nº - Bairro Alto
- Telefone Público: (67) 3241-2158
- Horário de Funcionamento:




9º BATALHÃO DE ENGENHARIA E COMBATE “BATALHÃO CARLOS CAMISÃO”(9º BECOMB)

A construção do prédio iniciou em 1920, sendo finalizada em 1923. Abrigou várias corporações do Exército Brasileiro, pela localização estratégica em que se encontra o município. Desde sua criação em 06/out/1942, foi incorporado à Força Expedicionária Brasileira, para os combates na Segunda Guerra Mundial, onde estiveram mais de 700 homens ligados a esta unidade militar. É um marco na história do Exército, sendo a primeira tropa brasileira a entrar em combate na campanha da Itália, participou com êxito das batalhas de Monte Castelo, Castelnuovo e Montese. Subordinado ao Comando Militar do Oeste, forma contingentes de reservistas e qualifica para o mercado de trabalho. Faz-se presente na comunidade local, principalmente em situações de calamidade, além de prestar serviços de construção para os governos locais. Em algumas situações, participa das campanhas de multivacinação. É de propriedade do Ministério do Exército.
Carlos de Morais Camisão, coronel que liderou a tropa da Retirada da Laguna, durante a Guerra do Paraguai. Nasceu no Rio de Janeiro (08/mai/1821) e morreu de cólera em Jardim/MS (29/mai/1867). Recebeu condecorações de diversas ordens da época: Ordem de Cristo (1849), Imperial Ordem da Rosa (1849) e Ordem de Avis (1860).
Guerra do Paraguai ou Guerra da Tríplice Aliança, foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul. Foi travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai. Em abril de 1865, partiu do Rio de Janeiro uma coluna que ganhou reforço em Uberaba/MG, formando uma coluna militar com 3.000 homens para combater os paraguaios. Esta guerra estendeu-se de dezembro de 1864 a março de 1870. É chamada de Guerra da Tríplice Aliança, na Argentina e Uruguai, e de Grande Guerra, no Paraguai.
Retirada de Laguna episódio marcante da Guerra do Paraguai, quando em janeiro de 1867 o coronel Calos Camisão assumiu o comando da coluna, então reduzida a 1.680 homens, e decidiu invadir o território paraguaio, onde penetrou até ao atual município de Bela Vista/MS, em abril. A tropa ficou bem distante da fronteira brasileira, e sem alimento suficiente foi afetada pela cólera, o tifo e pelo beribéri. Com isto, a tropa brasileira foi forçada a se retirar sob os constantes ataques da cavalaria paraguaios. Da tropa que chegou cerca de 3.000 homens, apenas 700 chegaram às linhas brasileiras em Coxim/MS, em junho de 1868. Foi retratada no romance de Visconde de Taunay – A Retirada da Laguna (que era na época um jovem oficial) que descreve toda a epopéia e descreve também a região de Aquidauana e Anastácio.
- Endereço: Rua Duque de Caxias, s/nº - Bairro Alto
- Telefone: (67) 3241-1600
- E-mail: s5_9bec@hotmail.com


MUSEU MARECHAL JOSÉ MACHADO LOPES

Localizado nas instalações do Batalhão Carlos Camisão, criado para receber o acervo composto pelo que é considerado o maior troféu de guerra conquistado pelo Brasil, uma bandeira alemã apreendida na região de Scodogna, (1m50cm por 2m50cm, capturada pela Força Expedicionária Brasileira (FEB) na 2ª Guerra Mundial (1939-1945), durante a Campanha da Itália (1944-1945), fotos documentos e objetos usados pelos soldados. O 9º Batalhão de Engenharia, que foi a primeira tropa a entrar em combate na Campanha da Itália, e o único batalhão da engenharia militar brasileira a participar da 2ª Guerra Mundial.
- Endereço: Rua Duque de Caxias, s/nº - Bairro Alto
- Telefone: (67) 3241-1600
- E-mail: s5_9bec@hotmail.com
- Horário de Funcionamento:
Agendar visitação
Entrada franca



Prefeitura Municipal de Aquidauana

Luiz da Costa Gomes , Nº 711
Bairro Cidade Nova
Aquidauana / MS
CEP: 79200-000
Telefone: (67) 3240-1400

Horário de atendimento: de segunda à sexta, das 07h às 13h